top of page

A cura de Ars: São João Maria Vianney

Dia 04 de agosto é dia do Cura D´Ars e Dia do Padre

Considerado o padroeiro dos sacerdotes, São João Maria Vianney — conhecido também por Cura D'Ars — era filho de camponeses franceses. Desde pequeno, apresentou-se muito piedoso dentro de sua família composta por outros seis irmãos.

Teve muitas dificuldades para aprender a ler e escrever, já que o ambiente revolucionário na França estava tumultuado e perigoso.


Quando foi se preparar para o sacerdócio, São João Maria Vianney mal era alfabetizado, pois falava um dialeto local e não tivera muito contato com francês aprendido na infância. Além disso, o latim foi uma disciplina que não conseguiu desenvolver satisfatoriamente, apesar de muita dedicação.


Ele foi convocado para o exército napoleônico e, antes de se apresentar, foi a uma igreja próxima para rezar. Perdeu a saída das tropas e foi considerado um desertor até sua anistia. A anistia veio sob condição: São João Maria Vianney precisava arranjar um substituto e seu irmão se ofereceu prontamente. Seu irmão não consegue voltar das batalhas napoleônicas e seu sacrifício será sempre lembrado pelo santo.


Foi para o seminário de Lyon e, depois de seis meses, foi expulso após uma prova de latim, sendo considerado débil para o sacerdócio. Por meio de seus antigos confessores, Cura D’Ars foi apresentado a um vigário geral como deficitário em latim, porém de postura cristã irreparável. Dessa forma, foi autorizado a continuar no seminário.


Em 1815, São João Maria Vianney foi ordenado sacerdote, mas encontrou um obstáculo: não poderia tornar-se confessor por ser considerado incapaz de orientar consciências. Três anos depois, é liberado para desempenhar plenamente seus deveres apostólicos.


Ele é enviado para ser capelão em Ars, um local sem amor a Deus e assolado pelo pecado. Cura D’Ars fazia a sua parte: oração, penitência e Eucaristia. Andava com roupas esfarrapadas e sapatos velhos, mas celebrava a Santa Missa com as melhores casulas e paramentos, pois a pobreza era sua e a glória de Deus.


Cura D'Ars começou a ser procurado para realizar confissões de pessoas de diversos locais. Passava muitas horas no confessionário e era muito rigoroso com suas ovelhas. A pequena vila passou a ser conhecida por ter um padre santo. Sua santidade se espalhou na Europa. A Igreja da cidade, antes abandonada, agora radiava fé.





Comentarios


bottom of page