top of page

SEXTO DIA - OS ESTIGMAS DE PADRE PIO

Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

Um pouco de história

Com o início da Primeira Guerra Mundial, Padre Pio e outros religiosos foram convocados e tiveram que prestar serviço militar. Após 182 dias de exército, executando diversas tarefas, Padre Pio, em vista de uma bronco-alveolite dupla, foi reformado, ficando livre para continuar seu ministério sacerdotal em tempo integral.

Em maio de 1918, Padre Pio foi, então para o convento de San Giovanni Rotondo, onde permaneceria até a morte, em 1968. Esse lugar agradou muito ao Padre Pio, pela tranquilidade e clima favorável a seus pulmões.

Contudo, toda sua vida foi uma crucifixão contínua. Além da saúde frágil e de outros sofrimento, foram-lhes dados os estigmas de Cristo, isto é, tinha em suas mãos, pés e lado as chagas do crucificado, chagas que sangravam e doíam muito, especialmente em certas ocasiões.

E, fato curioso, delas emanava um suave e misterioso perfume. A Igreja determinou que Padre Pio fosse examinado por vários médicos, e todos concluíram que seus ferimentos eram realmente de origem sobrenatural.


Reflexões de Padre Pio

Em dezembro de 1911, escreveu ao diretor espiritual: " Ontem à noite me aconteceu uma coisa que não consigo nem explicar, nem compreender: apareceu uma marca vermelha de cerca de um centímetro de largura, acompanhada de uma dor forte e aguda. Essa dor era bem mais forte na mão esquerda, e ainda posso senti-la. Também sinto um pouco de dor na planta dos pés".


João Paulo II fala de Padre Pio

"A razão última da eficácia apostólica de Padre Pio, a raiz profunda de tanta dor fecundidade espiritual, encontra-se na íntima e constante união com Deus, de que eram testemunhas eloquentes as longas horas passadas em oração. Gostava de repetir: 'Sou um pobre frade de que reza', convencido de que a oração é a melhor arma que possuímos, é uma chave que abre o coração de Deus".


Oração

Senhor Jesus, cheio de misericórdia e bondade, que amais a todos e entregastes vossa vida para a salvação da humanidade, concedei-me, por intercessão de Padre Pio. a graça de amar cada dia mais a vós e aos meus irmãos, especialmente os mais necessitados. Concedei-me ainda, com benevolência, a graça de que mais preciso neste momento. Amém.


 
Canto de Entrada

Oh! Oh! Oh!

1. São Pio de Pietrelcina,

primeiro Sacerdote

a ter impresso em seu corpo

os estigmas da Crucifixão.


Grande homem,

Santo de Deus,

que dons e carismas recebeu.

Empenhou suas forças

para as almas salvar (Bis)


​2. Deus o escolheu

como grande confessor.

E assim poder derramar

sua imensa misericórdia.


3. São Pio de Pietrelcina,

pobre frade que rezava.

E Deus marcou seu corpo

que tinha perfume de rosas.


ORAÇÃO A SÃO PIO

Ó São Pio de Pietrelcina, venero tua vida de santidade, de íntima união com Deus e de sincero amor ao próximo. Viveste tão unido a Jesus, e foste tão sensível ao sofrimento dos mais humildes, a ponto de ter em teu corpo chagas semelhantes àquelas que Nosso Senhor teve em seu corpo por amor a nós. Ó Padre Pio, sei com que grande zelo ouvias todos aqueles que estavam aflitos e buscavam o perdão de Deus e a orientação para suas vidas, por isso, nesse momento especial de minha vida, peço tua intercessão, para que apresentes a Jesus o meu pedido (...). Mas, que antes, se faça a vontade de Deus e não a minha. Amém.

(Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória).


HINO A SÃO PIO

(inspirado na “Memória” de São Pio)


1. ​Humilde Padre Pio,

com Cristo cravado na cruz.

Um frei que ora e ama

com as chagas de Jesus.

São teus prediletos

os irmãos enfermos,

tu os buscas e lhes dás

alívio aos sofrimentos.


Padre Pio, hoje te honramos.

Damos nossa devoção.

Te pedimos, revelai-nos

os segredos da Paixão.

Te rogamos, ajudai-nos

a levar serenamente,

com alegria e esperança,

a cruz do Onipotente!


2. ​A oração é a chave

que abre o coração do Senhor.

Com ela nos mostraste

as chamas do Divino Amor.

Sendo sacerdote

mui devoto a Maria,

te abrasaste nos doando

o perdão e a Eucaristia.


Kommentarer


bottom of page